Instituto Superior Técnico

Núcleo de Segurança, Higiene e Saúde

COVID-19

O confinamento a que toda a Comunidade Técnico foi sujeita devido a Pandemia da COVID-19, levou a que toda a atividade presencial fosse suspensa. Assim, e de forma a retomar-se a atividade presencial foi desenvolvido o Plano de Prevenção e Atuação face à COVID-19 do Instituto Superior Técnico que aqui se publica.

No Plano estão as regras que toda a comunidade Técnico deverá cumprir de forma a minimizar o risco de contágio/exposição ao vírus. Neste documento estão explanadas as regras de entrada nos campi e edifícios do IST, as regras especificas para salas de aulas, laboratórios, entre outras.

Plano de Prevenção e Atuação Covid_19 v7 (3MB) (Documento em atualização, nova versão será publicada o mais breve possível)

Matriz de fases de prevenção e contingência v8 – Anexo I – Plano (601KB)

 

 

 

 

Uma das regras fulcrais é a utilização por toda a comunidade Técnico de máscara, pelo que deixamos aqui um esclarecimento do “Porquê da Utilização da Máscara”.

 

O porquê da utilização de máscaras

O vírus da covid-19 transmite-se maioritariamente por gotículas respiratórias ou aerossóis. As partículas geradas por tosse, espirros ou durante o ato de conversação são tipicamente grandes de mais para permanecer no ar por muito tempo e, por isso, caem em superfícies próximas. Qualquer pessoa que esteja próxima pode ser infetada se as gotículas caírem sobre a sua boca, o nariz e os olhos, ou ao tocar numa superfície em que essas gotículas tenham caído e depois tocar no rosto.

Segundo as diretivas do Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC), a recomendação para o uso de máscara pela população reduz a propagação da infeção na comunidade, pelo facto de ela servir de barreira quando uma pessoa espirra ou tosse, reduzindo a propagação de aerossóis.

Alerta-se para o facto de que estudos apontam para que exista um número muito significativo de pessoas que se encontram infetadas com covid-19, sem que exibam sintomas.

Tudo somado leva a que o uso de máscara será tanto mais eficaz, enquanto medida de controlo de propagação do COVID-19, quanto maior for taxa de adesão à sua utilização.

Não obstante o atrás exposto, importa ter em consideração que o uso de máscara não substitui outras medidas para reduzir a propagação da covid-19, como a lavagem das mãos, o distanciamento físico, a etiqueta respiratória e evitar tocar com as mãos na cara.

Ao usar-se uma máscara não deve ter-se uma falsa sensação de segurança, sendo essencial ter presente que apenas será eficaz se combinada com as restantes medidas referidas.

Fontes:

  1. “Using face masks in the Community”, Technical Report, ECDC, 8 April 2020.
  2. Informação n.º 009/2020, DGS, 13 abril 2020